21 de out de 2010

FREI QUE SE ENVOLVEU EM CONFUSÃO COM TASSO EM CANINDÉ É TIDO COMO "UM POUCO EXPLOSIVO"

O frei Francisco Gonçalves de Souza que, no último sábado, foi um dos protagonistas da confusão envolvendo o candidato à Presidência, José Serra (PSDB), e o senador não reeleito, Tasso Jereissati (PSDB), em Canindé (114 km de Fortaleza), é conhecido em Pesqueira (PE), cidade onde atua, por ser “do tipo linha dura”, “um pouco explosivo”, e, às vezes, “radical”. “Ele é caladão, mas não leva desaforo pra casa. É uma pessoa de bem”, disse o dono do jornal Pesqueira Notícia, Chico Neves, que afirmou ter uma boa relação com o frei. No sábado, 16, durante os festejos em homenagem a São Francisco de Assis, em Canindé, o frei Francisco Gonçalves, que celebrava a missa das 16 horas, reclamou do tumulto causado pela presença de Serra e Tasso, criticou a exploração de temas religiosos pela campanha tucana, e condenou a distribuição de panfletos, no local, contra a candidata do PT à Presidência, Dilma Rousseff. A manifestação do frei Gonçalves deixou Tasso irritado. E ao dizer que aquilo não era “jeito de fazer política”, o senador respondeu: “O senhor não pode fazer isso”. E acusou frei de ser “petista”. Após a missa, militantes dos dois partidos entraram em confronto. Segundo informações de pessoas da Paróquia e de alguns jornalistas de Pesqueira (214 km do Recife), o frei Francisco Gonçalves não é ligado a nenhum partido político, não apoia nenhum candidato e é contra política na igreja. “Ele nunca se pronunciou sobre política na igreja. Ele pode ter alguma tendência, mas não se manifesta”, disse Chico Neves, que fez questão de dizer que, apesar de concordar com a atitude do frei, é contra a candidatura de Dilma. Outro jornalista, que não quis ser identificado, disse que o frei “tem um sermão meio grosso mesmo. (…) Ele é um pouco explosivo, e gosta tudo do jeito dele”, mas garantiu que ele “não tem ligação com partido político”. No entanto, todas as pessoas ouvidas disseram que o frei Francisco Gonçalves tem muita aceitação em Pesqueira.
(O Povo - Via Blog do Eliomar)

3 comentários:

valdinar disse...

a meu. esses caras não respeitam ninguem mesmo, esse mane desse serra so foi la porque sabe que esta nas festa de são francisco, ele não esta querendo fazer campanha em lugares cidades, ele esta procurando adjuntos, quer aproveitar carona de são francisco para iludir os romeiros, e acabou fazendo baderna em plena missa, tem que ter respeito mesmo. ver se ele vai la em outra epoca do ano, ele deu sorte porque foi frei francisco, imagina se fosse joaquim calista, aquele rapaz que fazia culto para finados, que não deixava ninguem nem respirar fundo.

levei muitas bronca do joaquim, uma bela noite virei assistente dele num culto la no cajueiro dos coutinhos, tudo em paz

Alfredo Beviláqua disse...

O frei Francisco Gonçalves só fez zelar pela liturgia na Santa Missa, não aceitando a exploração de temas religiosos por políticos, no caso, pela campanha tucana, e condenar a distribuição de panfletos, no decorrer daquele ato religioso, contra a candidata do PT à Presidência, Dilma Rousseff. Estou acrescentando um artigo para que o povo reflita na hora de votar. Se quer que o Brasil continue dando certo, como no governo Lula, não admitindo que se ande para trás como caranguejo.
Comparando números
É bom que o povo analise dois modelos opostos, para poder tomar a decisão acertada por ocasião da eleição, não deixando de comparar os números de cada grupo que governou o País por oito anos, ambos na vigência do Plano Real, o qual foi implantado pelo governo de Itamar Franco, para o controle da inflação e que equiparava o Real ao Dólar, ou seja: 1R$=1U$A.
Tudo bem, FHC conseguiu controlar a inflação, porém, escancarou as nossas contas ao FMI que a cada dois meses nos ditava as medidas econômicas, entre elas as privatizações do patrimônio público, mandando arrochar salários, chegando aquele governo a chamar o aposentado de vagabundo, suspender os investimentos de infra-estrutura em todos os setores da economia, ao ponto de ocasionar o apagão elétrico e de haver greves sucessivas nas Universidades Federais, porque a prioridade era acumular reservas cambias para a amortização da nossa dívida externa, culminando com a grande arte de mexer na política cambial, promovendo a maxidesvalorização do Real e elevação das taxas de juros, causando aumento da dívida externa, que somente de 95 a 99 deu um salto de US$ 153bi para 241bi, beneficiando o esquema fraudulento dos mega-especuladores, a exemplo de Cacciola, o qual depois de encher os bolsos de milhões de dólares, fugiu para a Itália. Muitos têm saudades daquele tempo em que a roubalheira era acobertada e os corruptos protegidos. Catorze CPIs foram sufocadas.
Quando o Lula assumiu o governo, as rodovias em todo o Brasil era uma buraqueira só e as desigualdades regionais eram gritantes. A fuga de capitais era enorme, com o Risco Brasil atingindo a marca dos 2.000 pontos, reduzida no governo Lula, para 250 pontos.
O Lula teve a coragem de tomar decisões que FHC não quis tomar. Assim, o Lula, pagou a dívida externa, ordenando que os Técnicos de FMI nos deixasse trabalhar. Tratou de reduzir as desigualdades regionais, criando o Bolsa Família, como também o PAC que é o maior programa do País em criação de emprego e renda, com investimentos de infra-estrutura em abastecimento d’água, irrigação, construção de ferrovias e de hidrelétricas e duplicação de rodovias e também na construção das UPAs e hospitais, apesar dos senadores da oposição terem derrubado a CPMF.
O Senador Sérgio Guerra, declarou na Veja de Dezembro de 2009, que se o PSDB ganhar a eleição, o PAC será extinto, porque é eleitoreiro. Isto implica em acabar com a transposição do Rio São Francisco, a qual não é eleitoreira, mas de grande alcance social, pois vem melhorar as condições de vida de 12 milhões de nordestinos, proporcionando emprego e renda ao povo do semi-árido que trabalha no campo produzindo alimentos, resultado concreto no combate à fome e ao êxodo rural.
Espero que o povo pense, para que o Brasil não ande para trás, não retome as privatizações entreguistas, nem acabe com o PAC, nem com a Transposição do Rio São Francisco e que se mantenha a redução das desigualdades regionais, com a distribuição justa e igualitária dos royalties do Pré-Sal.


Antônio Alfredo Coelho Beviláqua
Economista

Alfredo Beviláqua disse...

Serra rezando na Basílica de São Francisco em Canindé
Os fariseus gostam de aparecer e sempre ocupam os primeiros lugares nas sinagogas, ou melhor, na igreja, fingindo que são do bem. Tendo a mesma postura, sobre o episódio ocorrido na Basílica de São Francisco em Canindé/CE, os personagens Serra e Tasso ocuparam os bancos da frente, enquanto a militância paga distribuía panfletos na Igreja e nos seus arredores, difamando Dilma, dizendo que ela apoiava a guerrilha das FARCs e era favorável ao aborto. O padre que presidia a celebração da Santa Missa, frei Francisco Gonçalves, do convento de Pesqueira, vendo o alvoroço que se formou em torno daqueles fariseus, os quais procuravam desviar o foco das atenções para eles, repreendeu a todos, dizendo que a Igreja não é lugar de se fazer política, mas sim de escutar a Palavra de Deus e de adorar o Senhor Jesus na Santa Eucaristia. Sentindo-se ofendidos, aqueles tucanos saíram bicando pra todo lado, foram discutir com o padre, dizendo que o padre era petista e que trazia problemas para a Igreja. Serra hoje, diz que é a favor da vida e contra o aborto, mas em 1998, quando ele era Ministro da Saúde, o qual manipulava vultosos recursos oriundos da CPMF, ele assinou norma técnica para o SUS (Sistema Único de Saúde), ordenando regras para fazer abortos previstos em lei, até o 5º mês de gravidez. Dá para acreditar num candidato deste que somente agora é o mais religioso e santo de todos? Eles só vieram extinguir a CPMF, no governo Lula, para prejudicá-lo. Difamando Dilma Rousseff, ele agora prega que é do bem. Dilma é que é do mal.
Alfredo Beviláqua