21 de set de 2010

APENAS UMA DECLARAÇÃO DE AMOR


Paraíso, incerto recanto de certezas absolutas, de sabores incomparáveis e amores eternos, de simplicidade, de paz sem desejos, mas de completas satisfações. Inferno, lugar certo de desilusões, de certezas banais para feridas incuráveis, cicatrizes abertas e desamores. Prazeres, desejos e certezas! Não existe inferno que seja pior que a dor de não saber mais se entregar ao sofrimento, aos desejos desafiantes e a certeza incerta de que vale a pena, a estigma aberta se o amor for o destino. Estou a um ponto do céu e a uma vírgula do inferno que são as banalizáveis certezas mundanas. São nos olhos de quem amo que enxergo o sonho da descoberta e o duvidoso prazer, que por tanto de me inquietarem acabo por confundi-los com desejos sórdidos e soluções banais. Meu paraíso está sem chão, sem teto e sem cara, mas está enquanto estou com você, só preciso saber que por não defini-lo, não acabe eu por descobri que a sua verdade confunde a minha, pois não a tenho sem ti.

(Fátima Oliveira -  Agosto de 2010)

2 comentários:

Anônimo disse...

Belas palavras expressas com tanta desenvoltura, parabéns por conseguir descrever tão fielmente o que muitos levam a vida inteira tentando entender.
A chama ardente, completo sentimento que inebria e entontece até o mais forte ser.
O Homem nasce, cresce se apaixona e morre.
Se não és morte, oque seria então ser lapidado de todos os seus sentidos.
Pois até o forte coração, já é alheio ao seu antigo dono e bate forte por outro ser...

marcelo disse...

"...Estou a um ponto do céu e a uma vírgula do inferno que são as banalizáveis certezas mundanas..." QUE BELA METÁFORA, ASSIM COMO O TEXTO QUE NOS PASSA UMA LEVEZA...RITMO E ACIMA DE TUDO,ESSÊNCIA.