23 de ago de 2010

ESTRANHA ILUSÃO!

Por um momento pensei está perdida
De repente todos me encontram,
Vem de toda parte,
Estou sem saber pra onde ir,
Encontraram-me, e eu perdida na incerteza sem saber se devo,
Bom, eu sei que devo mais não sei se posso, talvez possa, mas não sei se quero,
São como um vaporoso dilúvio que me deixam a mercê da dúvida...
Estranha ao conhecimento.
Quando não se sabe pra onde ir, acredito ser melhor ficar.

(Fátima oliveira-Agosto de 2010)

2 comentários:

Marcelo Silva disse...

"...São como um vaporoso dilúvio que me deixam a mercê da dúvida..." depois deste verso, o que se pode comentar?...eis a essencia e a pureza de quem o escvreveu... Parabéns!!! Fátima.

marcelo disse...

Mostra a pureza e a essencia de quem o escreveu... Parabens Fátima...