26 de ago de 2010

CASO ALANIS: 31 ANOS E 8 MESES DE PRISÃO

Sem sobressaltos, sem dúvidas quanto à autoria e o tipo de crime praticado, os jurados concluíram que Casim era culpado e deveria ser responsabilizado pelos crimes de homicídio triplamente qualificado, estupro de vulnerável e ocultação de cadáver. Depois de quase oito horas de um doloroso mergulho pelos pormenores da noite de 7 de janeiro, a última de Alanis, e pelos antecedentes criminais de Antônio Carlos, o juiz proferiu a sentença: Casim foi condenado a 31 anos e 8 meses de prisão, inicialmente em regime fechado. A pena máxima para os três crimes acumulava 48 anos, mas o juiz decidiu aplicar 20 anos para o crime de homicídio, 10 para o estupro e 1 ano e 8 meses para ocultação de cadáver. O juiz reduziu tempo de pena por Antônio Carlos ter confessado.

O assistente da acusação, Marcelo Sobral, considerou a pena justa e disse que a família não deve recorrer. “Avaliamos que foi condizente com o crime que ele cometeu”. O assistente da defesa, Francisco Batista Lima, disse que também não haverá recurso da parte do réu. “Por ser um crime de repercussão muito grande na sociedade, não haveria motivo”, justificou. 

(O Povoonline)

Nenhum comentário: